terça-feira, 25 de maio de 2010

bragança: minhas pesquisas

Resposta que recebi do Sr Antonio, pesquizador de historia portuguesa na India - Goa

Senhor Janes
Bragança Pereira e Pereira Bragança são o mesmo sobrenome, o que aconteceu é que inicialmente era Bragança Pereira, e depois de algumas gerações eles para não perderem o sobrenome Bragança que é tido, e é o sobrenome da Família Real Portuguesa e Brasileira. Como expliquei antes, o primeiro da Família Bragança em Gôa foi Francis Xavier De Bragança. Não se você conhece lá na Índia o Sistema de Castas... procure pesquisar. Eles eram da Família Desai, uma Família da segunda Casta. A primeira era a dos religiosos os Brâmanes, que ganharam esse nome em homenagem a Deusa Hindu Brama. A segunda Casta era a dos Reis e príncipes, e muuuuito antigamente eram os guerreiros das tribos, generais e tal. Como todos os Xátrias da Índia hoje, da Família Desai temos alguns escritores, um Marajá(príncipe de hoje em dia) e um outro que foi primeiro ministro da Índia e contemporâneo da revolução de Gandhi, no google ele está em inúmeras fotos com Ghandi. Desai é uma Família nobre da Índia. São amigos dos Príncipes e Reis Asiáticos. Esse era o seu nome original: DESAI. O senhor vai ler que o Sistema de Castas foi extinto mas como ele tem natureza religiosa, pois ele é totalmente citado nas Leis de Manu, que são do Hinduísmo. Por lá 95% da população é Hindu e portanto seguem o Sistema de Castas e seguirão sempre pois faz parte da Religião deles. O Desai que estava em Gôa era um governante de lá, que quando aconteceu a conquista Portugues ada Colônia de Gôa ele foi catequisado por Saint Francis Xavier: From August of that year until March 1542, he remained in Mozambique then reached Goa, the capital of the then Portuguese Indian colonies on May 6 1542. His official role there was Apostolic Nuncio and he spent the following three years operating out of Goa. http://en.wikipedia.org/wiki/Francis_Xavierhttp://www.catholic.org/saints/saint.php?saint_id=423
Ele ganhou o nome Francis Xavier por ter sido catequisado por esse missionário. Ele como já era um governante muito respeitado na região até pelo Sistema de Castas de lá. O Rei Ferdinando II achou melhor colocar o poder Português naquela região sob os olhos do Francis Xavier De Bragança. Gôa naquela época era a capital das famosas Índias. E ele Francis Xavier De Bragança cuidava de todas essas riquezas pertencentes inicialmente a ìndia e depois ao Império Portugês. Como disse antes ele recebeu o sobrenome Bragança , e ele faz parte da Casa Real de BRahbança e era Dono da sede da Casa Real de BRagança em Gôa. Porque Gôa? Porque era o melhor lugar para controlar e pelo que me foi relatado Francis Xavier tinha muitos amigos poderosos por lá. Ele recebeu então educação Portuguesame foi cavaleiro de inúmeras ordens de Portugal. Ele estudou no Real Colégio Gimnasyal dos Nobres de Portugal e morou por lá estudando e tal. Ele teve um filho que teve outros 2 filhos sempre estudando lá n Real Colégio em Portugal e numa das gerações da Família acho que na 3°. Os 2 filhos(um menino e uma menina) se casaram. O menino com a Baronesa de Menezes e a menina com o Conde Pereira, um judeu burguês que teria ganhado o título de nobreza pelo lado da sua mãe. A Família inicialmente tinha muitos Palácios em Banglor e então preferiu fazer um Palácio em Chandor, Gôa. Divido em Duas Alas a dos Menezes Bragança e a dos Bragança Pereira. Com esse ditador PortuguÊs, a Família Menezes Bragança fugiu para um Palácio de um primo em Banglor, a Família Bragança Pereira fugiu para o Brasil. Se localizou inicialmente em Salvador. A Família Menezes Bragança representada por Aida de Menezes Bragança foi para Chandor em Gôa e ficou por lá. Fizeram até um filme em Portugal chamado "A Dama de Chandor". Como naquela época em 1962 era quase impossível se comunicar com a ìndia, as duas Famílias, que na verdade são só uma, se dividiram. O lado dos Bragança Pereira está abandonado, a Dona Aida só cuida do lado dos Menezes Bragança, pois o dos Bragança Pereira é cuidado pelo Governo Indiano. Não existe nenhum descendente por lá. Se você ver na reportagem que fizeram sobre a Família Bragança em Gôa, você vai ver que está escrito como Chardó a Casta dos Bragança. Chardó foi a adaptação que fizeram para o Português e para o catolicismo. Pois até hoje mesmo que a população seja católica somente em Gôa. Existe até hoje por lá aquele respeito e tal. As pessoas abaixam a cabeça, perguntam se o Chardó não quer nada e tal. Chardó – Casta segunda, depois dos brâmanes! http://travessadoferreira.blogspot.com/2007/12/goa-de-novo-sem-pecado-antunes-ferreira.html
Em Gôa só mudou de nome, Xátrias, Chardó. Pela Colonização Portuguesa e tal. Os policiais se vêem algum desrespeito logo repreendem os desrespeitosos. Nunca podem lhe olhar diretamente no rosto os das castas inferiores e tal. Como disse antes os dois Bragança Pereira que chegaram aqui no Brasil eram médicos e tinham bastante dinheiro, pois muita coisa trouxeram da Índia. Coloque no google Bragança Pereira que você achará alguns parentes. Bragança de Azevedo também é só colocar no google que você vai achar alguns parentes. No inicio do texto está a explicação sobre a assinatura. Recomendo-lhe que peça telentrega pela Fnac de Portugal. www.fnac.pt o filme da Dama de Chandor. Explica muita coisa aquele filme, muitos mistérios da Família Bragança em Gôa. Esqueci de lhe falar que o Brasão da Família Bragança em Gôa e portanto da Família Bragança Pereira está nessa página aqui: http://www.flonnet.com/fl2406/stories/20070406000506500.htmhttp://lei-e-ordem.blogspot.com/2008/02/casa-dos-bragana-em-chandor.html No primeiro link está a imagem do Brasão. Ele era todo feito de Porcelana Chinesa com as envolturas de ouro e algumas partes de Prata. É realmente um Brasão lindo! Merece palmas! Continue respondendo que lhe contarei mais! Recomendo que visite Gôa na Índia. Além de ter praiasparadisíacas, todos tem alguma história para contar sobre a Família Bragança. Ou como o senhor é Chardó, talvez o senhor consiga uma audiência com Ghandi e com alguns príncipes e Marajás de lá. Um Grande Abraço senhor Janes!
Att Antônio

Minhas considerações: muito prestativo o Sr. Antonio e bons esclarecimentos e grandes lições. Mas tem um problema - meu pai e minha mãe tem a pele branca, e quando nascemos tinhamos os cabelos loiros. Isso parece mais coisa de europeu, não é mesmo?
Mas de qualquer forma estou postando e considerando. Quem sabe pode vir novas luzes.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Rialma e suas pessoas

Neste espaço pretendo colcar fotos historicas relativas a Rialma e região.









Foto de meu tio Odilon que foi grande comerciante e vereador por duas vezes e suplente em outra. Para maiores detalhes so Sr. Odilon veja "Familia Vicente Ferreira e Rialma" neste blog.












Foto de minha prima Ziza, filha do tio Odilon, no início da decada de 60. Note o detalhe da moda da época.





















Diplomação de minha prima Rute, talvez no curso de enfermeira do Hospital São Domingos e seu irmão Otaniel como paraninfo. Filhos da tia Zica e Jorge Machado. Foto de meados de 70.














Novamente, minha prima Ziza e sua tia (e minha também) Zica. foto de meados de 1962, quando as duas moravam em Rialma. Hoje a Ziza mora em Brasilia e a Zica em Campos Altos - Mg.













Nessa foto estão meu pai e minha mãe em 1949, tirada na Colonia Agricola de Ceres.



















Ja esta é minha mãe Marieta Ferreira, foto de 1954 na Colonia Agricola de Ceres













Minha prima Dorcas filha do Odilon Vicente Ferreira. Nessa foto ela exibe seu diploma, talvez do ginasial. Em Rialma

















Foto do culto inaugural da Igreja Presbiteriana de Rialma. Nessa foto vemos o Sr Otoniel Avelar, Dona Iraci, Sr Arlindo Reis, o Paul B. Long Jr, a familia da dona Izoleta (Isabel, Raquel, Adael,etc). No primeiro banco vemos de blusa preta a Dona Lecy, esposa do Sr Sinval, evangelista que substituiu o Sr. Nagib, a Darci, minha irmã e outros.




Esta é a Sra. Ilidia, esposa do meu tio Odilon V. Ferreira.











Este é o Daniel que na decada de 60 tinha o apelido de ferrugen ou sapateiro, pois de dia trabalhava de sapateiro e a noite era o porteiro do Cine Teatro Brasil.













Prof. Jaci Guimarães paraninfando minha prima Maria das Graças, filha do tio José Jorge. Meu tio foi comerciante em Rialma - comprava e revendia cereais, tinha um deposito de lenha, açougue, e cambista.
















Outra prima, Maria de Lurdes, filha do tio José Jorge, foi caixa das Lojas riachuelo por muuito tempo e de la saiu quando casou com Sr. Armando



















Ah... Este é o Sr. Laerte ou Alaerte, foi porteiro do Cine Teatro Brasil e do Cine Comodoro (onde é hoje o Shopping Rialma).



















Meu primo Jason, filho do Sr. Odilon Vicente Ferreira. Foi operador do Cine Teatro Brasil e Cine Comodoro.

















Time do Cruzeiro. Meu saudoso cunhado Valdir é o primeiro agachado da esq. para direita




























Irani, irma da Dona Iracema. Note sua beleza.


















Casorio de minha prima Zilda com Roberto. Zilda, filho do tio Odilon













Nesta foto, eu estou conduzindo minha irmã ao altar, visto meu pai ser falecido.




















Meu tio Zeze, minha irma Lauraci, minha irmã Darci, eu, minha irma Neuraci, meu irmão Jaime



















Meu pai, Antonio José Bragança. Foto de 1954 tirada na Colonia Agricola de Ceres









Ceres 13 x 3 Nova Glória



Time do Ceres em novembro de 1964
Meu saudoso cunhado Valdir o 2º em pé da direita para a esquerda










Foto do Antenor Monturil e da Irani, cunhada do Antonio Cano Cano e, me parece, 1ª esposa do Getulio de Souza .

















Antenor era irmão do Carlos Monturil e do Nana (Nana faleceu em situação misteriosa na noite 31 de dezembro de 1966.) Antenor também morreu em situação misteriosa pois seu corpo está desaparecido.
Quanto a Irani, era uma jovem muito bonita, irmã da Dona Iracema, esposa do Sr. Antonio Cano Cano.









Nessa, vemos o 2º da esq. pra direita Graciano Cândido Teixeira, sobrinho da Dona Maria Rosa.
Note a arquitetura da casa ao fundo.









Novamente o Graciano, de calça escura, debaixo da ponte de Rialma. Ele e os demais eram funcionários braçais na construção de um colégio (industrial?) em Ceres.
Eles estavam debaixo da ponte, do lado de Rialma














Novamente meu cunhado Valdir Ribas, o 1º agachado, da direira pra esquerda.











































segunda-feira, 3 de maio de 2010

Jesus Cristo: o Príncipe da Paz

O Senhor Jesus Cristo é chamado de o “Príncipe da Paz” (Isaias 9:6). Seria ele aquele que iria acabar com as guerras e promover a paz entre os homens? Cremos que ele vai além disso, caso contrário ele seria como Ghandi, como madre Tereza de Calcutá, ou teria ele o mesmo papel da ONU, bem tantos outros que promovem a concordância entre os povos. Estes pacificadores tem seus méritos (e grandes), mas no caso de Jesus a questão “paz” não significa propriamente ausência de conflitos. Seja no lar, na cidade ou entre nações.
Veja essas palavras de Cristo:
Mt 10:34 - "Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada; pois vim causar a divisão entre o homem e seu pai, entre a filha e sua mãe... pois quem ama mais sua mãe ou pai mais do que a mim, não é digno de mim".
Sendo assim, como pode ele ser o “Príncipe da Paz”? A resposta é que temos uma inimizade mais séria do que briga entre homens ou entre nações. Na verdade temos uma inimizade com Deus. A santidade de Deus não nos é simpatica. Somos por natureza rebeldes contra Deus. Por mais que almejemos por paz não a alcançamos, não é mesmo?

È nesse aspecto que Jesus é o Príncipe da Paz. Ele veio fazer as pazes entre nos e o seu Pai. O capitulo 5 de Romanos explica claramente essa inimizade. Em Romanos 5:1 – é dito que “Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo”. E lá nos vers. 10 está escrito que “Porque se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho...” E no vers. 8 Paulo elucida que “Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nos, sendo nós ainda pecadores”. É assim que entendemos, ser Jesus Cristo o Príncipe da Paz. O mesmo Jesus que declara que veio trazer a espada sobre a terra, que veio fazer divisão nos lares, na sociedade; ainda assim, ele é o agente da paz. Na verdade o único pacificador entre os homens e Deus. E agora muito mais, temos estimulo para sermos pacificadores e promovermos a paz entre os povos, porque Cristo é o padrão de paz, na verdade nosso padrão em todas as coisas. Àqueles quem alcançaram a paz com Deus é recomendado como mandamento, que não devemos resistir ao ímpio e nem amaldiçoa-lo, mas orar por ele em amor.

Vamos um pouco mais: Jesus declarou aos seus discípulos e seguidores em Jo 14:27 e Jo 16:33 que “deixou-vos a paz, a minha paz vos dou. Não a dou como o mundo a dá. No mundo tereis aflições, mas tende bom animo eu venci o mundo”. Estão percebendo como a paz de Jesus é diferente? A paz do mundo se entende por ausência de conflitos, de brigas por ideologias, de cobiças por fronteiras e posses. Paz que nunca teremos porque sempre queremos impor nossas opiniões. Mas a paz de Jesus é nossa reconciliação com seu Pai, porque nossa inimizade não é contra o mundo e sim contra Deus. Somos rebeldes contra Deus e somos inimigos dele quando fazemos pouco caso de suas leis, que Cristo cumpriu por nos, e nos justificou, e nos salvou.
Jesus Cristo é o único mediador entre Deus e os homens. “Disse Jesus: Eu sou o caminho e a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim” João 14:6.

Mas, ainda assim, Jesus tem promovido a paz entre judeus e gentios. Jesus tem recomendado amor a nossos inimigos e não resistirmos a eles, confiando que Ele nos honrara com bençãos muito maiores do que podemos adquirir com nossa força. Ele recomenda promovermos a justiça, elutarmos pela comunhão.
Ele é a nossa paz.
Paz a todos.
Janes José Bragança.