quarta-feira, 19 de setembro de 2012


Zaqueu: desonesto ou honesto?


Vejamos antes o único texto biblico que fala sobre Zaqueu - Lc 19:1 a 11

1 Tendo Jesus entrado em Jericó, ia atravessando a cidade.
2 Havia ali um homem chamado Zaqueu, o qual era chefe de publicanos e era rico.
3 Este procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, porque era de pequena estatura.
4 E correndo adiante, subiu a um sicômoro a fim de vê-lo, porque havia de passar por ali.
5 Quando Jesus chegou àquele lugar, olhou para cima e disse-lhe: Zaqueu, desce depressa; porque importa que eu fique hoje em tua casa.
6 Desceu, pois, a toda a pressa, e o recebeu com alegria.
7 Ao verem isso, todos murmuravam, dizendo: Entrou para ser hóspede de um homem pecador.
8 Zaqueu, porém, levantando-se, disse ao Senhor: Eis aqui, Senhor, dou aos pobres metade dos meus bens; e se em alguma coisa tenho defraudado alguém, eu lho restituo quadruplicado.
9 Disse-lhe Jesus: Hoje veio a salvação a esta casa, porquanto também este é filho de Abraão.
10 Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.

Vejamos o que diz versiculo por versiculo.
1 – diz que Jesus entrou em Jerico e atravessava a cidade.
2 – diz que Zaqueu, era maioral dos publicanos (funcionario público de alto escalão), e era rico.
3 – Aqui diz que Zaqueu queria ver Jesus mas nãopodia por ser baixo.
4 -  Zaqueu estava determinado a ver Jesus e resolveu subir numa árvore que ficava no trajeto de Jesus.
5 – Neste versiculo ele é reconhecido por Jesus que se oferce para ficar em sua casa.
6 - Desceu depressa e o recebeu com alegria.
7 – Mas para o povo ele era pecador e indigno de receber Jesus.
8 – Aqui Zaqueu deu voluntariamente metade de sua riqueza aos pobres, e “se” tivesse deflaudado alguem restiuiria 4 vezes mais como manda a lei de Moisés (Êxodo 22:1).
9 – Jesus confirma sua salvação e sua filiação a Abraão.
10 – Zaqueu foi objeto da missão salvadora de Cristo.

Onde neste texto diz que Zaqueu era ladrão ou desonesto? Este é o único texto que fala sobre Zaqueu. Conclui-se apressadamente que ele era desonesto por ser publicano (funcionário público), e alguns vão mais longe dizendo que ele era fiscal e corrupto. De qualquer forma, por ser publicano, exageram afirmando que ele era ladrão – um corrupto! Mas sabemos que nem todos os funcionários publicos são corruptos.
Conclui-se tambem que ele era ladrão pela sua disposição em restituir alguma coisa que tivesse deflaudado. Mas, veja bem, ele diz “se nalguma coisa tenho deflaudado”. É uma questão de saber gramática portuguesa, e mais nada.Veja ai a  conjução condicional “se” que indica uma possibilidade e nunca uma realidade, e muito menos uma confição de roubo, caso contrário ele teria confessado o roubo e pedido perdão.
A verdade é que muitos pregadores, comentaristas e ensinadores querem realçar a graça de Jesus e inventam que Zaqueu era ladrão. A graça de Jesus é excelsa por si mesma. Ela é muito maravilhosa e excede nosso entendimento. Agora, que ele era pecador isso é patente, isso é fato; pois "todos pecaram e destituidos estão da glória de Deus" (Rm 3:23). E mais, ninguém fala de sua boa ação em dividir metade do que tinha com os pobres. Como gostamos e achamos fácil difamar o próximo.
Me parece que o mais certo é concluir que, Zaqueu buscou Jesus, não fez caso do que os outros iriam pensar dele, e subiu numa árvore. Coisa de criança.Queria somente ver Jesus e encontrou muito mais. Assim, é o SENHOR, que sempre concede muito mais do que almejamos, desde que busquemos a Ele em primeiro lugar, sempre colocando-O em primazia em nossas vidas.
Parabéns Zaqueu!

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Deus: sua ação em minha vida.

Em 1976 nasceu meu filho, o André. Nasceu com 3.5 kilos e depois de 40 dias estava com 2.9 kg. Vitimado por uma grave doença que o emagreceu ficando pele e osso. Foi uma luta pelo seu tratamento. Inicialmente visitamos vários pediatras de Itumbiara e como a doença foi se agravando o internamos numa clinica infantil de Campinas - Goiania. Nesse hospital ele ficou internado , me parece 22 dias. Tomou soro e foi feito até transfusão de sangue, mas sua cura não teve sucesso.
Naturalmente que nessa aflição seguiu-se um  período intenso de orações e intercessões. Havia muitos  palpites, receitas caseiras e indicação pra ser benzido. Refutei todas essas coisas e decedi confiar no Deus das Escrituras. Mas selecionamos algumas pessoas que julgavamos ter piedade e pediamos a elas que orassem. Eu pessoalmente me debrucei em busca da ajuda do alto. Certa noite eu trabalhava na S/E Itumbiara, como operador, e como tinha muito tempo pra ler a Bíblia e orar, resolvi então, orar de hora em hora rogando a Deus a cura do meu filho. Certa feita após orar com o rosto em terra (cimento queimado) voltei à cadeira, peguei a Biblia e a abri aleatoriamente. Meu dedo parou exatament sobre o texto de Lucas 9:41 "E Jesus, respondendo, disse: Ó geração incrédula e perversa! até quando estarei ainda convosco e vos sofrerei? Traze-me aqui o teu filho."  Isso foi um sinal bem claro de que Deus estava me ouvindo. Mas o que significava - trazei-me aqui o teu filho? Voltei a orar e a folear a Bíblia buscando mais esclarecimentos. E nada.
Então decidi que aquele "trazei-me o teu filho" significava que eu deveria ir a Goiânia, tirar o menino do hospital e leva-lo a um pediatra  chamado Dr. Vanderley. Feito isso, decidido, peguei o ônibus das 5 horas e cheguei em Goiania as 8 horas e segui imediatamente pro hospital. Lá chegando pedi pra retirar o garoto do hospital. Me disseram que não era bom mas como insisti eles liberaram o enfermo e desci pra casa de minha mãe na Vila Abajá. No caminho encontrei a mãe do menino, minha ex-esposa, e falei do que ocorreu durante minhas preces e descemos rumo a casa de minha mãe. A  uns cem  metros do  portão encontramos um grupo de vizinhas que pediram pra ver o menino e recomendaram um tal Dr. Valdemiro. Retruquei dizendo que iria levar ele no Dr. Vanderley. Mas adiante quase junto ao portão outro grupo de 2 senhoras olharam o André e recomendaram o Dr. Valdemiro. Disse-lhes que iria levar ele ao Dr. Vanderley. Ao adentrar o portão novamente outras ou outra vizinha recomendou o Dr. Valdemiro e... ai caiu a ficha. Entendi que Deus estava me dizendo pra levar o garoto ao Dr. Valdemiro. E à tarde o levamos. O Dr. Valdemiro prescreveu um tratamento caseiro, simples e barato. E o curou.
Mas vejam bem, em tudo isso a mão do Onipotente, em sua providência estava direcionando minhas decisões. É assim que Deus age. Louvado seja Ele para sempre.
O Hospita de Urgencias de Goiania = HUGO, tem o nome desse médico: Valdemiro Cruz.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Um espinho na carne

     Em meados de 1976 foram os melhores anos de  minha vida em questão de fé e espiritualidade. Eu vivia um casamento em crise aguda e crise contínuo; mas em questão  de comunhão com Deus eu estava bem. Foi nessa época que aconteceram fatos que demostraram claramente a resposta de Deus às minhas orações, e também a certeza de que Deus podia e pode fazer grandes coisas em nossas vidas.  Então ponderei: nunca vou cair da fé!
     Mas caí. Logo após a separação, por desquite, de minha mulher; eu senti um grande vazio, e tentei arrumar uma futura esposa. Nessas tentativas fui distanciando daquele padrão de santidade em que eu vivia. Não era feliz! Cheguei ao ponto de precisar de ajuda de psicologo para sair de um círculo cada vez mais negativo.
      Depois de 4 anos decidimos, eu e ex-mulher, a morarmos novamente juntos. Eu a aceitei em casa na ilusão de que agora nos tínhamos  aprendido que separados não era bom. Mas novamente não deu certo. Foram mais 4 anos de desavenças, angústias, e finalmente ela foi embora. Orei e pedi a Deus ajuda. Dois meses depois eu estava bem, sem mágoas, sem ressentimentos. E mais feliz, bem mais feliz. Deus continuou sendo benevolente comigo.
Hoje, 20 anos depois, é que eu entendo a lição. Um espinho na carne! Paulo tinha um espinho na carne, mensageiro de Satanaz "E, para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar."  (II Coríntios 12 : 7) Para que Paulo não se exaltasse. Para que não eu exaltasse e acusasse aqueles que não foram felizes no casamento de fracos em Cristo foi-me acontecer esses fatos.
Pelo exposto acima, hoje sou mais tolerante com os fracos, pois eu sou fraco e propenso a cair. Principalmente com aqueles que tiveram seus casamentos destruídos. Hoje eu sei do grande amor de Deus e de sua paciência com os crentes infiéis, esperando deles um arrependimento, e ainda mais, muito mais, os abençoando. Isso é que é amor! Fico a  pensar se Deus fosse nos castigar por cada pecado e  pecadinho: ai de nós! Não somos fortes o suficiente como o profeta Jeremias (Lm 3:1, 2 e 3) que aguentou o furor da vara de Deus. Minha sorte e nossa valia (leia-se benção) é que Deus não somente é misericordioso mas ele tem prazer na misericórdia (Mq 7:18). Deus de fato é muito bom.
Portanto meu irmão, seja mais irmão e ao invés de proceder como os 3 amigos de Jó, ore e seja paciente com os mais fracos. Corrija, mas sem acusações. Lembre-se que é fácil receitar remédios quando estamos sadios. Duro é experimenta-los quando precisamos deles.
Que Deus nos mantenha de pé.