sábado, 27 de julho de 2013

Imagens e ídolos dos evangelhicos

Imagens dos evangélicos

Hoje em dia está difícil separar um crente de um ímpio. Devagar vamos nos conformando ao mundo e aceitando práticas que não combinam com uma vida de santidade. Além do costumes morais e éticos a igreja está adotando imagens, figuras, desenhos que tiram o foco de nosso Salvador. São sais, óleos, lenços, fotos, fronhas, água defronte, ou em cima, da TV, etc.
A igreja presbiteriana do Brasil, da qual pertenço, tem como ícone a figura de uma árvore pegando fogo – a sarça ardente. Essa figura não gera em nos nenhum sentimento de adoração ou devoção. Por incrível que possa parecer tem crentes que nem sabe o que é aquilo. Porém, nesse ícone foi inserido a figura de uma pomba, simbolizando o Espirito Santo (epa!). Escrevi ao Jornal Presbiteriano discordando dessa pomba e posteriormente o Supremo Concilio da IPB mandou que fosse retirado a pomba (não por mim!), pois dá a ideia de que o Espirito Santo tem proeminência na Trindade. Seria bom voltar ao simbolo antigo. Ou nenhum! Santo Agostinho foi radicalmente contra toda imagem nos templos . Não adoramos a sarça ardente e nem sua figura. Adoramos a mensagem que ela transmite – veja:
Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó. E Moisés encobriu o seu rosto, porque temeu olhar para Deus. Êxodo 3:6
Deus falou do meio da sarça e falou com Moisés do meio dos querubins sobre o propiciatório.
Além do mais adotamos, como os apóstolos e irmãos do primeiro século, a imagem de um peixe como simbolo de crentes. Quase todas as igreja cristãs usam essa figura para dizer: olha eu sou crente em Cristo Jesus. Nada mais do que isso. Também não adoramos nem os peixes e nem sua figura.
Mas veja bem, Deus ordenou que o véu que separava o Santo dos santos fosse confeccionado e nele desenhado a figura de querubins.
Mais tarde quando Salomão construiu o Templo substituindo o Tabernáculo, feito por Moisés, foi esculpido na porta a figura de anjos protetores que são os querubins.
"Também fez na casa do lugar santíssimo dois querubins de obra móvel, e cobriu-os de ouro". 2 Crônicas 3:10
E lá no deserto as cortinas de linho que cercava o Tabernáculo foi feito a figura de Querubins .
"Depois farás um véu de azul, e púrpura, e carmesim, e de linho fino torcido; com querubins de obra prima se fará". Êxodo 26:31
"E o tabernáculo farás de dez cortinas de linho fino torcido, e azul, púrpura, e carmesim; com querubins as farás de obra esmerada". Êxodo 26:1
Porque querubins? Veja a resposta da Escritura:
"E orou Ezequias perante o Senhor e disse: Ó Senhor Deus de Israel, que habitas entre os querubins, tu mesmo, só tu és Deus de todos os reinos da terra; tu fizeste os céus e a terra". 2 Reis 19:15
"E, quando Moisés entrava na tenda da congregação para falar com ele, então ouvia a voz que lhe falava de cima do propiciatório, que estava sobre a arca do testemunho entre os dois querubins; assim com ele falava". Números 7:89.
Também Deus ordenou que fosse feito de metal uma serpente, e colocada em um mastro, e todo israelita que fosse mordido pelas serpente enviadas por Deus e olhasse (apenas olhasse) era salvo da mordida mortífera.
"E Moisés fez uma serpente de metal, e pô-la sobre uma haste; e sucedia que, picando alguma serpente a alguém, quando esse olhava para a serpente de metal, vivia". Números 21:9
Posteriormente essa imagem da serpente teve que ser destruída porque o povo a estava cultuando. 2 Rs 18:4
Veja esse texto de Dt 4:15 a 20, onde mais uma vez Deus ordena não fazer imagem dele.
"Guardai, pois, com diligência as vossas almas, pois nenhuma figura vistes no dia em que o Senhor, em Horebe, falou convosco do meio do fogo;
Para que não vos corrompais, e vos façais alguma imagem esculpida na forma de qualquer figura, semelhança de homem ou mulher;
Figura de algum animal que haja na terra; figura de alguma ave alada que voa pelos céus;
Figura de algum animal que se arrasta sobre a terra; figura de algum peixe que esteja nas águas debaixo da terra;
Que não levantes os teus olhos aos céus e vejas o sol, e a lua, e as estrelas, todo o exército dos céus; e sejas impelido a que te inclines perante eles, e sirvas àqueles que o Senhor teu Deus repartiu a todos os povos debaixo de todos os céus.
Mas o Senhor vos tomou, e vos tirou da fornalha de ferro do Egito, para que lhe sejais por povo hereditário, como neste dia se vê".
Deuteronômio 4:15-20
Agostinho foi contra qualquer imagem ou figura daquilo que se adora, no caso Deus. “...Agostinho... expressamente declara como ato abominável não só adorar imagens, mas também levantá-las a Deus. E ele não está dizendo outra coisa senão repetindo o que, muito antes, foi decretado no Concílio de Elvira, cujo cânon trinta e seis diz o seguinte: ‘Resolveu-se que não se tenha nos templos representações pictóricas, de modo que não se pinte nas paredes o que se cultua ou se adora”.
Calvino disse “As imagens são indignas da majestade de Deus, porque diminuem o temor dos homens e aumentam seus erros”
Resumindo: Aparentemente não seria proibido usar figuras nas igrejas e residencias. Proibido é dar a elas o louvor por menor que seja! Mas o Catecismo de Heideberg na pergunta 98 afirma que a imagem não ensina. Na verdade ensina mentira. Veja Hc 2:18
"Que aproveita a imagem de escultura, depois que a esculpiu o seu artífice? Ela é imagem de fundição que ensina mentira, para que quem a formou confie na sua obra, fazendo ídolos mudos?"
Também o catecismo de Westminster na pergunta 51 tem como resposta o seguinte "O segundo mandamento proíbe o adorar a Deus por meio de imagens, ou de qualquer outra maneira não prescrita na sua Palavra".
É o que diz Rm 1:22 e 23.
"Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.
E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis."
Nas igrejas o melhor não te-las de jeito nenhum; pois o culto só deve ser a Deus (veja acima Dt 4:15). Agora é uma afronta a Deus beijar, adorar, pedir, rezar à qualquer objeto, criatura, imagem, ser espiritual. Glória só a Deus. Culto só a Deus. E qualquer outra coisa que tome a primazia de Deus é pecado, é idolatria. Seja família, seja a pátria, seja diversão, seja dinheiro, seja imagem de santo, seja... é idolatria. É pecado. Voltemos nosso rosto, nosso coração somente ao Senhor.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

As 4 maiores invenções

      Os três maiores descobrimentos, ou invenções pelo homem na historia são a roda, a escrita e a imprensa.
      A roda, junto com a alavanca, facilitou o trabalho e a locomoção do homem; bem como, a de seus produtos, ideias e conhecimento. Hoje somos rodeados (tá vendo?) de rodas. Imagine o mundo sem a roda e sem sua companheira, a alavanca. Estaríamos ferrados.
      A escrita foi outro grande avanço.  Os simples marcos de propriedades, os desenhos em cavernas e paredões , sinais de fumaça, a escrita cuneiforme, os hieróglifos (egípcios, maias, etc),  o alfabeto fenício, o sistema de contagem dos árabes e indianos deram um salto gigantesco na gravação e propagação da cultura e conhecimento.
      A imprensa ou prensa com tipo móvel, invento do alemão   Johannes Gensfleisch zur Laden zum Gutemberg, 1398 - 1468; possibilitou a difusão em massa de livros, publicação de jornais. Para se ter uma ideia, antes um livro era escrito e depois copiado livro por livro, pagina por  pagina, palavra por palavra, ufaaa! Havia profissionais da área - os copistas ou escribas - cuja função era copiar livros e documentos. E o que falar das máquinas de escrever que deram agilidades nos escritos.
     Sem dúvida nenhuma a prensa foi um grande passo na difusão de informação e propagação de ideias.
     Mas existe outro grande invento, talvez o quarto em escala de importância: o transistor. O transistor foi descoberto ou inventado em dezembro de 1947 nos laboratórios da Bell Telephone nos Estados Unidos por John Bardeen, Walter Britain chefiados por Willian Shockley. Eles receberam o Prêmio Nobel de física em 1956. http://www.nobelprize.org/nobel_prizes/physics/laureates/1956/


Veja a foto acima. Podemos notar uma válvula comum usada em rádios, no meio um celular simples e a direita acima e em baixo, no meio quatro transistores e a direita um pendrive, sem o involucro, de 4 gigabytes
      O transistor logo substituiu a válvula eletrônica nos rádios e aparelhos eletrônicos. A válvula descoberta pelo engenheiro Lee de Forest era a única maneira de amplificar os sinais de rádio. Foi Thomas Alva Edson que notou que seu invento, a lampada elétrica, emitia um feixe de elétrons ao redor de seu filamento. Alguém acrescentou uma placa que capturava  esses elétrons e assim foi construída o diodo, usados em retificação de sinais elétricos e eletrônicos. Ao elemento emissor foi dado o nome de catodo e à placa o nome de anodo. O Dr. Lee de Forest acrescentou um terceiro elemento no diodo, entre o anodo (a placa) e o catodo, a grade que controlava o fluxo de elétrons de acordo com a polarização. Porem, as válvulas, além de serem grandes, consumia muita energia, pois necessitava de um filamento para aquecer o catodo, e este emitia elétrons que eram captados pela placa.  O transistor, ao contrário trabalhava com baixas tensões (9 volts contra 90 volts da válvula que ainda precisava de um gerador de tensão de placa - uns 180 volts). Eram pequenos, baratos, robustos e fáceis de manusear.  O primeiro rádio totalmente transistorizado foi lançado em 1954, patenteado em 1955. Já em 1950 havia diversas fábricas de transistores, obviamente sob  licença da Bell Telephone. Os primeiros transistores eram feitos de germânio. Depois descobriram que o silício tinha as mesmas propriedades semicondutoras, porém mais fáceis de polarizar e lidar. O transistor funciona como amplificador, como oscilador, como chave eletrônica. Com dois faz-se um flip-flop (liga-desliga) e com mais algum acréscimo de transistor se faz uma memória eletrônica. Sempre pesquisando os semicondutores tiveram a ideia de colocar diversos transistores em  uma única pastilha de  silício e assim nasceu o circuito integrado. Mas não ficou só no transistor o uso dos semicondutores, depois vieram os diacs, os triacs, os diodos, os leds, os fet, os mosfet, etc.
     Sem o transistor, hoje não existiria o telefone celular, não haveria o computador nos moldes que temos,  não haveriam as  telecomunicações instantâneas,  não haveriam os multiplex, nem calculadoras, nem  pendrives, nem TV LED, LCD, Plasma e sabe-se lá onde vamos parar! Com o transistor tudo ficou compacto. Só pra ter uma ideai - uma calculadora de 4 operações tem cerca de 1000 transistor em uma área menos que um cm quadrado! Hoje um celular é do mesmo tamanho de uma válvula eletrônica .
Em 1948 os Estados Unidos construiu o primeiro computador - ENIAC - na verdade uma calculadora - tinha 19000 válvulas - queimava-se cerca de 250 válvulas todo dia, e para nãos haver dúvidas no resultado havia 3 circuitos diferentes que faziam os mesmos cálculos. Se dois coincidissem era considerado certo. Em 1998 foi montado a versão do ENIAC num chip de apenas 7,44 x 5,29 mm onde coube 174569 transistores. Veja ftp.unicamp.br/pub2/apoio/treinamentos/arq_micro/arquitetura.pdf .
Hoje tem circuitos, aliás, chips com mais de 1 000 000 de transistores.
O transistor reduziu o tamanho dos aparelhos eletrônicos, reduziu seus preços e melhorou o desempenho.
Assim, com o transistor, é divulgado uma massa enorme de informação pela escrita, pela imagem, pelo áudio e pelo vídeo.


Transistor de média potencia.

segunda-feira, 4 de março de 2013

causos de matuto

Meu avô paterno o Chico Bragança morava lá na roça. Tinha sua tapera, na verdade uma casinha simples mas bem arrumadinha. Ele era engenhoso e caprichoso. Certa feita ele fez uma bica de tora de buriti. Não combinava com seu estilo porque uma tora de buriti logo apodrece. E foi o que aconteceu. Essa bica desaguava num monjolo. E como a bica apodreceu chegou um dia em que ela caiu. Mas a água tava tão acostumada em passar na bica que não sentiu sua falta. Continuou correndo no lugar de sempre  e o monjolo não  parou de funcionar.

Em 2001 houve um racionamento de energia em nível nacional. A fazenda do meu avô teve que se adequar e economizar energia. Só que pra economizar tinha que parar os trituradores e apagar as lampadas. Foi ai que meu avô teve uma ideia genial. Foi no rio pegou uns dez peixes elétricos colocou na piscina e ligou os fios neles. Pronto! Resolveu o problema! E  agora ele vende energia pra celg. Quem não acreditar é só ir lá e vê!


terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

ESPINHO NA CARNE


ESPINHO NA CARNE

“E, para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar.
Acerca do qual três vezes orei ao Senhor para que se desviasse de mim.
E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo.” 2 Co 12.7-9




Paulo, crente como era, teve grandes revelações. E ele poderia se exaltar dizendo-se superior a todos em espiritualidade. Assim como faríamos, se tivéssemos as revelações que ele teve. Aliás, mesmo sem essas revelações, tem muita gente se achando “os tais”: se vangloriando de bençãos e humilhando os mais fracos.
Foi posto em Paulo um espinho na carne que o tornava fraco ao ponto de não poder se engrandecer sobre ninguém. De não se exaltar. De achar que era o bom, o sensacional, o espiritual, o poderoso em oração e piedade. Que espinho era esse? Não sabemos com detalhes. Sabemos que veio da parte de Satanás e que era algo que pudia ser desviado pelo Senhor, não por Paulo. Depois de três pedidos o Senhor disse que não o atenderia. Veja que Paulo se submete a vontade do Senhor para seu próprio bem. “ Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte. 2 Co 12:10.” Mas o texto de Romanos 7 esclarece algumas coisas, entre elas a de que Paulo era carnal, isto é, com forte queda para pecar (Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado.Romanos 7:14); e sendo escravo do pecado, pela carne, não dava conta de fazer o que queria, ou seja, de alcançar plenamente as coisas espirituais e, talvez, de ser tolerante com o próximo “ Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço (Rm 7:19)”.

Longe mim fazer comparações entre eu e Paulo. Mas meu(s) espinho(s) na carne, que me tem enchido de tapas, me faz calar quando vejo o insucesso na vida de crentes e descrentes. Não fui sábio no primeiro casamento (no segundo estou melhorando), meus filhos não são perfeitos, tenho ainda minhas fraquezas, isto é, propensão para o pecado, não fui o melhor profissional no meu emprego apesar de ter-me esforçado por isso. Resumindo existe uma grande variedade de defeitos a serem corrigidos e perdoados pelo Senhor. Já pensou se eu fosse perfeito? Um supercrente? Um poderoso em oração? Bom pregador? Se meus filhos fossem “um sucesso total”? Já pensaram se tudo em mim fosse prospero? Eu já pensei! E certamente iria me vangloriar, ora se iria? E mais, iria dizer que o meu próximo e irmão não é abençoado, e que isso ocorre, porque não são tão fieis quanto eu.

Não! Não desiste da santidade, do crescimento na graça, do conhecimento de Cristo, meu Redentor. Apenas entreguei meu caminho ao Senhor e me agrado dele (Sl 37:4 e 5).
Dou graças a Deus pelas minhas fraquezas. Elas me fazem mais tolerante com o próximo. E que o Senhor continue a ser minha força... como ele era de/em Paulo.

Sê humilde para evitar o orgulho, mas voa alto para alcançar a sabedoria – Aurelius Augustinus – Santo Agostinho