sexta-feira, 19 de abril de 2013

As 4 maiores invenções

      Os três maiores descobrimentos, ou invenções pelo homem na historia são a roda, a escrita e a imprensa.
      A roda, junto com a alavanca, facilitou o trabalho e a locomoção do homem; bem como, a de seus produtos, ideias e conhecimento. Hoje somos rodeados (tá vendo?) de rodas. Imagine o mundo sem a roda e sem sua companheira, a alavanca. Estaríamos ferrados.
      A escrita foi outro grande avanço.  Os simples marcos de propriedades, os desenhos em cavernas e paredões , sinais de fumaça, a escrita cuneiforme, os hieróglifos (egípcios, maias, etc),  o alfabeto fenício, o sistema de contagem dos árabes e indianos deram um salto gigantesco na gravação e propagação da cultura e conhecimento.
      A imprensa ou prensa com tipo móvel, invento do alemão   Johannes Gensfleisch zur Laden zum Gutemberg, 1398 - 1468; possibilitou a difusão em massa de livros, publicação de jornais. Para se ter uma ideia, antes um livro era escrito e depois copiado livro por livro, pagina por  pagina, palavra por palavra, ufaaa! Havia profissionais da área - os copistas ou escribas - cuja função era copiar livros e documentos. E o que falar das máquinas de escrever que deram agilidades nos escritos.
     Sem dúvida nenhuma a prensa foi um grande passo na difusão de informação e propagação de ideias.
     Mas existe outro grande invento, talvez o quarto em escala de importância: o transistor. O transistor foi descoberto ou inventado em dezembro de 1947 nos laboratórios da Bell Telephone nos Estados Unidos por John Bardeen, Walter Britain chefiados por Willian Shockley. Eles receberam o Prêmio Nobel de física em 1956. http://www.nobelprize.org/nobel_prizes/physics/laureates/1956/


Veja a foto acima. Podemos notar uma válvula comum usada em rádios, no meio um celular simples e a direita acima e em baixo, no meio quatro transistores e a direita um pendrive, sem o involucro, de 4 gigabytes
      O transistor logo substituiu a válvula eletrônica nos rádios e aparelhos eletrônicos. A válvula descoberta pelo engenheiro Lee de Forest era a única maneira de amplificar os sinais de rádio. Foi Thomas Alva Edson que notou que seu invento, a lampada elétrica, emitia um feixe de elétrons ao redor de seu filamento. Alguém acrescentou uma placa que capturava  esses elétrons e assim foi construída o diodo, usados em retificação de sinais elétricos e eletrônicos. Ao elemento emissor foi dado o nome de catodo e à placa o nome de anodo. O Dr. Lee de Forest acrescentou um terceiro elemento no diodo, entre o anodo (a placa) e o catodo, a grade que controlava o fluxo de elétrons de acordo com a polarização. Porem, as válvulas, além de serem grandes, consumia muita energia, pois necessitava de um filamento para aquecer o catodo, e este emitia elétrons que eram captados pela placa.  O transistor, ao contrário trabalhava com baixas tensões (9 volts contra 90 volts da válvula que ainda precisava de um gerador de tensão de placa - uns 180 volts). Eram pequenos, baratos, robustos e fáceis de manusear.  O primeiro rádio totalmente transistorizado foi lançado em 1954, patenteado em 1955. Já em 1950 havia diversas fábricas de transistores, obviamente sob  licença da Bell Telephone. Os primeiros transistores eram feitos de germânio. Depois descobriram que o silício tinha as mesmas propriedades semicondutoras, porém mais fáceis de polarizar e lidar. O transistor funciona como amplificador, como oscilador, como chave eletrônica. Com dois faz-se um flip-flop (liga-desliga) e com mais algum acréscimo de transistor se faz uma memória eletrônica. Sempre pesquisando os semicondutores tiveram a ideia de colocar diversos transistores em  uma única pastilha de  silício e assim nasceu o circuito integrado. Mas não ficou só no transistor o uso dos semicondutores, depois vieram os diacs, os triacs, os diodos, os leds, os fet, os mosfet, etc.
     Sem o transistor, hoje não existiria o telefone celular, não haveria o computador nos moldes que temos,  não haveriam as  telecomunicações instantâneas,  não haveriam os multiplex, nem calculadoras, nem  pendrives, nem TV LED, LCD, Plasma e sabe-se lá onde vamos parar! Com o transistor tudo ficou compacto. Só pra ter uma ideai - uma calculadora de 4 operações tem cerca de 1000 transistor em uma área menos que um cm quadrado! Hoje um celular é do mesmo tamanho de uma válvula eletrônica .
Em 1948 os Estados Unidos construiu o primeiro computador - ENIAC - na verdade uma calculadora - tinha 19000 válvulas - queimava-se cerca de 250 válvulas todo dia, e para nãos haver dúvidas no resultado havia 3 circuitos diferentes que faziam os mesmos cálculos. Se dois coincidissem era considerado certo. Em 1998 foi montado a versão do ENIAC num chip de apenas 7,44 x 5,29 mm onde coube 174569 transistores. Veja ftp.unicamp.br/pub2/apoio/treinamentos/arq_micro/arquitetura.pdf .
Hoje tem circuitos, aliás, chips com mais de 1 000 000 de transistores.
O transistor reduziu o tamanho dos aparelhos eletrônicos, reduziu seus preços e melhorou o desempenho.
Assim, com o transistor, é divulgado uma massa enorme de informação pela escrita, pela imagem, pelo áudio e pelo vídeo.


Transistor de média potencia.

Um comentário:

  1. Graças a tudo isto que deram os primeiros passos aos avanços da tecnologia sem estas invenções grandiosas no passado não daria vida que temos hoje ou no futuro.Graças a inveção do rádio, tv, telefone e a válvula que deram vida ao primeiro computador e outros meios de se comunicar que temos na atualidade.

    ResponderExcluir